Frozen Dawn

por Julian Stella

Porto Ferreira, um município do estado de São Paulo. Localiza-se á margem do rio Mogi Guaçu. Com seu Brasão representado por um escudo Português tripartido. E suas flechas representando São Sebastião um padroeiro celeste do lugar. Na foto, o frio parece nos fazer ranger os dentes, enquanto o nevoeiro pinta a noite com um véu prata. A luz se mistura com o brilho esbranquiçado que ofusca o luar. Os postes observam a tudo paralisados pelo frio, vendo tudo de cima, encobertos pelo manto prateado que insiste em cobrir o porto. No chão, as faixas de sinal desaparecem no alvo pavimento enevoado. Remetendo-nos a um rigoroso inverno branco. Os lados da calçada parecem distantes, um do outro. Separados por um mar branco de asfalto. Uma imponente sombra se aproxima pelo canto inferior da foto querendo dividir a atenção com a sua outra metade. Enquanto pontos de luz claros como bolas de fogo se projetam acima respeitando um simétrico e luminoso intervalo. Porto Ferreira, um município do estado de São Paulo. Aqui nessa foto, sem o advento da modernidade ou o apelo digital. É apenas mais uma gélida noite captada em sua totalidade como uma noticia nua e crua. Absurdamente despida da tecnologia, afinal, é assim que se faziam as fotos de uma grande época chamada “ontem”. E foi assim que nosso fotografo, alojado nesse arrefecido e glacial relento, se prontificou a esperar o melhor momento, disposto a congelar se fosse preciso. Tudo para captar a mágica em preto e branco, que abriga mais do que simples memórias impressas em papel.

(texto: L. Maldonalle)